No período gestacional e pós parto, uma das maiores preocupações estéticas da futura mamãe estão no aparecimento das temerosas estrias.

As estrias representam áreas de atrofias lineares da pele, de formato sinuoso, dispostas paralelamente umas as outras.

Estão dispostas no sentido contrário das linhas de tensão da pele, representando o rompimento das fibras elásticas da pele quando ocorre um mecanismo de tração que supera a capacidade da pele de se adaptar.


Por sua importância estética, as estrias vem sendo motivo de estudo desde o século passado.

Alguns aspectos tem se mostrado claros, como a ação das forcas de tensão na gênese da estria, a influencia hormonal e ate mesmo algumas alterações bioquímicas da pele como a quantidade de estruturas que formam as fibras colágenas e o papel da circulação sanguínea na hidratação, nutrição e oxigenação da pele.


Profundidade do tecido rompido estende-se até a derme, camada intermediária da pele, onde estão localizadas fibras elásticas, colágenas e vasos sanguíneos.

A pele apresenta-se fina, com menor elasticidade e perda da tonalidade rosada. As estrias mais recentes são avermelhadas e as mais velhas são esbranquiçadas.


A cura das estrias tem sido um desafio e os tratamentos existentes tem apresentado resultados limitados.


Por isso, o mais importante é a prevenção.


O primeiro cuidado a ser tomado é a qualidade nutricional.

A necessidade de ingesta de proteínas de alto valor biológico tais como ovos, carne, peixe e frango na gestação e pós parto aumenta consideravelmente a formação do feto, placenta e para nova composição corporal feminina e a lactação.

Deste modo, uma alimentação que não ofereça os nutrientes necessários para este fim pode acarretar uma depleção no fornecimento de nutrientes estruturais para a pele, neste momento um órgão menos vital, declinando a produção de fibras elásticas e colágenas, com consequente formação de estrias.

Outros alimentos de alto valor biológico tais como frutas, verduras e legumes auxiliam no fornecimento de vitaminas e cofatores essenciais para a produção de fibras colágenas .


A utilização de dermocosméticos melhorando a hidratação e nutrição da pele é de grande auxílio na prevenção das estrias.

Atualmente formulas dermocosméticas são acrescidas de fatores de crescimento , mediadores biológicos naturais encontrados em tecidos em fase de cicatrização e renovação celular que atuam sobre os processos de reparo e regeneração celular, cicatrização e cura de ferimentos.

Estes produtos, anteriormente extraídos do plasma sanguíneo e usados na cura de feridas crônicas, hoje são biossintetizados pela indústria farmacêutica e por serem biológicos e naturais, podem ser utilizados em gestantes e parturientes sem efeitos colaterais.


Quando as estrias já se instalaram, técnicas de indução de colágeno, desenvolvidas na Alemanha, na década de 90 para tratamento de feridas podem ser utilizadas para melhorar o aspecto estético estimulando a formação de tecido colágeno nas lesões.

Peelings: Estimulam a renovação celular e auxiliam na produção de colágeno, melhorando o aspecto da pele.

Subcisão: técnica onde a estria é anestesiada e estimulada profundamente por um equipamento perfuro cortante para indução da produção de novo colágeno.

Dermoabrasão: Favorece o crescimento de novas células epidérmicas sobre as cicatrizes de estrias.

Formulações específicas: Aplicação de cremes a base de fatores de crescimento e substâncias regeneradoras da pele, para isso, consulte sua dermatologista.

Laser: A aplicação do laser localizado nas estrias age profundamente na pele, estimulando a formação de colágeno local.

Micropuntuaduras por dermarroler: Técnica desenvolvida em Bervely Hills a partir da observação da melhora do aspecto de cicatrizes após a realização de tatuagens.

A partir daí, o estudo das multi micro puncturas feitas na pele, mostraram um efeito de destruição do colágeno cicatricial e a indução de um novo colágeno através de um equipamento esférico com múltiplas microagulhas que, aplicadas a superfície da pele oferecem uma excelente opção terapêutica para as estrias e podem ser feitas em todos os tipos de pele.

O tratamento é simples e ao contrário de tratamentos ablativos não oferece risco de alteração da pigmentação da pele principalmente nas peles mais escuras. Este tratamento induz a formação de colágeno e elastina que irão reparar o tecido danificado.


Haverá melhora na aparência das estrias, os resultados são individuais e dependem da severidade das lesões, da idade e quantidade de estrias.

Sempre os melhores resultados são nas estrias vermelhas que são as mais recentes, mas as brancas também terão melhora.

Embora não se consiga fazer a pele ficar completamente sem estrias, melhora significativa é esperado, o processo de reparo é contínuo e será mais visível após um ano do final do tratamento.

Técnica desenvolvida em Bervely Hills a partir da observação da melhora do aspecto de cicatrizes após a realização de tatuagens.

Agende sua Consulta